O que é Venture Capital e como atrair esse tipo de investimento para sua empresa

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
banner do material Fever Play

Se você tem uma empresa e acha que está na hora de fazê-la crescer, já deve ter ouvido falar sobre a importância de captar investimentos, bem como seus tipos e particularidades. Isso porque, sem capital, seja ele próprio ou de terceiros, empresas e startups não conseguem financiar seu desenvolvimento. E uma das formas que o seu negócio pode captar recursos é por meio de uma modalidade de investimentos chamada Venture Capital (VC).

Esse tipo de investimento é bem distinto dos modelos tradicionais do mercado financeiro, uma vez que, além de injetar dinheiro para ajudar a empresa a crescer, o investidor pode passar a influenciar diretamente nos negócios e nas tomadas de decisão, contribuindo para a geração de valor para a organização na hora da venda de ações. 

Por isso, é fundamental  entender bem o que é Venture Capital e como esse tipo de aporte pode transformar o seu negócio

Não se preocupe, a gente te guia nesta jornada! Neste post, vamos explicar o que é Venture Capital e dar dicas de como uma empresa pode atrair recursos nessa modalidade. Vamos lá? 

O que é Venture Capital?

Venture Capital, também chamado no Brasil de capital de risco, é uma forma de investimento cujo foco é aportar recursos em empresas e startups que possuem alto potencial de crescimento, mas que ainda são muito jovens e não possuem faturamento considerável. 

Normalmente, esse investimento é mais comum nas empresas que possuem modelo de negócio escalável. A ideia é que a empresa que vai receber o aporte cresça, passe a gerar mais lucros, seja vendida (totalmente ou parcialmente) ou realize abertura de capital no mercado, para que os investidores possam se beneficiar no longo prazo.

Ou seja: o principal objetivo dessa modalidade é alavancar negócios, que depois irão gerar lucro por meio de uma saída (exit). Por ter interesse no desenvolvimento e crescimento da empresa e seus futuros resultados, o investidor de Venture Capital pode, inclusive, atuar como um parceiro e ajudar o empreendedor a tornar o negócio escalável. 

Vale ressaltar que os investimentos de Venture Capital são constituídos por tipos de fundos e etapas de investimento financeiro distintas, que serão definidas de acordo com o estágio e a maturidade da empresa, sempre em valor crescente. 

estágios de investimento em venture capital

Essas etapas acontecem em rodadas de investimentos, que nada mais são do que o processo por meio do qual as empresas e startups podem levantar recursos para financiar sua operação. São elas:

  • Investimento-anjo: essa é a primeira rodada de investimentos de qualquer startup, que costuma ser efetuada por pessoas físicas com capital próprio e pequenos investidores profissionais;
  • Seed: quando a empresa já possui sinais de validação de seu produto e serviço e está em busca de desenvolvê-lo, ela começa as rodadas de investimento em seed (semente); 
  • Série A: nesta série, o capital é utilizado para otimizar a base de usuários, melhorar a credibilidade da startup e impulsionar o negócio, explorando novos mercados;
  • Série B: neste estágio, a startup já desenvolveu uma base fiel de clientes e conseguiu validar seu modelo de negócio;
  • Série C em diante: os investimentos nesta fase podem buscar internacionalizar as operações da empresa e contribuir para acelerar seus mais diversos âmbitos. As demais rodadas (D, E…) dão continuidade à expansão do negócio.

Agora que você já sabe como sua empresa pode captar recursos para crescer, que tal ficar por dentro das etapas que envolvem um processo de investimento em Venture Capital e se preparar? 

Etapas do investimento em Venture Capital

O investidor de Venture Capital enfrenta um processo criterioso antes de aportar seus recursos em uma empresa. 

Para facilitar, listamos as etapas do processo. Confira:

  1. Tudo começa com a seleção do projeto. Durante essa etapa, o investidor precisa analisar o projeto do solicitante, sua documentação, balanços, o mercado de atuação do projeto, do que se trata o negócio (conceito), entre outros. Muitas vezes, o investimento é feito em dinheiro, mas também pode ser revertido em treinamento, conhecimento, consultoria e carteira de clientes;
  2. A segunda etapa é o monitoramento. Aqui, começa a negociação com as empresas escolhidas. O fundo de Venture Capital realiza, então, uma auditoria para investigar o histórico do solicitante (questões societárias, dívidas, contratos, etc). Se tudo estiver em conformidade e a negociação for concluída, o dinheiro é investido. Os fundos de investimento possuem uma duração de longo prazo, que pode variar de 2 a 10 anos;
  3. A última fase é a de desinvestimento. Ao atingir o prazo preestabelecido no contrato, os fundos se desfazem de sua participação na empresa e devolvem o capital investido aos cotistas que participaram do aporte.

O que os fundos de Venture Capital procuram?

Já vimos que o principal objetivo dessa modalidade de investimento é alavancar negócios, que depois irão gerar lucro aos investidores, durante a saída ou venda de ações. O investidor de Venture Capital procura, portanto, uma empresa com alto potencial de crescimento e que possa gerar lucros significativos no longo prazo. Isso significa que eles procuram investir em segmentos de mercado atrativos, já que apostar em um nicho não validado é muito arriscado. 

No Brasil, os investimentos em startups têm se concentrado em segmentos como fintechs (tecnologia financeira) e proptechs (tecnologia imobiliária), por se tratarem de mercados com alto potencial.  Aqui, os fundos de Venture Capital são instituídos como Fundos de Investimento em Participações (FIP) e Fundos Mútuos de Investimento em Empresas Emergentes (FMIEE).

E, para que a sua empresa consiga atingir a credibilidade necessária para atrair investimentos de Venture Capital, existe uma figura central para tornar isso possível: o gestor financeiro.

Conheça o case da Conta Simples na captação de investimentos em Venture Capital

O papel do gestor financeiro na atração de capital

Percebemos que, pelas etapas que levam um fundo de investimento em Venture Capital a levar o aporte adiante, a organização financeira e legal da empresa é muito importante. Para isso, a participação ativa do gestor financeiro é fundamental. Afinal, ele não só é responsável pelo controle da gestão financeira da empresa, mas também pelo planejamento e organização dos demonstrativos contábeis. 

Além disso, ele é quem busca captar e aplicar recursos voltados ao crescimento da empresa, visando obter mais lucros, fazendo o acompanhamento do fluxo de caixa, dos resultados econômicos da empresa e atuando nas tomadas de decisões.

O principal desafio do gestor financeiro é aumentar o valor do patrimônio líquido da empresa, logo, dominar com propriedade as estratégias para a captação de recursos, como os provenientes de fundos de Venture Capital, é imprescindível para esse profissional. 

5 dicas para atrair investimentos para sua startup

O cenário para a captação de recursos financeiros para uma startup é muito desafiador, e sem chamar atenção dos investidores, essa tarefa se torna ainda mais difícil. Mas, o que fazer para atrair os fundos de Venture Capital? 

Aqui vão cinco dicas que uma empresa ou startup precisa ficar de olho:

  1. Planeje-se:

Seu plano de negócios é a porta de entrada dos investimentos na sua empresa. Por isso, invista no planejamento de um plano claro e preciso. Esse documento é o que vai guiar suas decisões e que vai dar total conhecimento ao investidor sobre as suas expectativas de negócio no curto, médio e longo prazos, incluindo a maior quantidade de dados realistas possível. Aqui, é fundamental destacar os diferenciais da empresa ou startup, trazer uma panorama da concorrência, entre outros aspectos, para que o investidor de Venture Capital se sinta atraído pelo seu negócio.  

  1. Tenha as pessoas certas no seu time:

Sim, pessoas excelentes geram negócios excelentes. Os investidores de Venture Capital, com certeza, vão procurar medir a qualidade da sua equipe. Até porque, com metas desafiadoras de crescimento e aumento de faturamento, ter um time preparado, que conhece bem o mercado e seu nicho de atuação, é mandatório. 

  1. Saiba vender a sua ideia:

Para convencer os investidores de Venture Capital a aplicarem recursos na sua empresa, você precisa preparar um discurso de vendas campeão. É ele que vai apresentar o seu negócio e mostrar os porquês de merecer um aporte financeiro. Para isso, procure ser conciso e objetivo, dando ênfase ao que é fundamental no seu negócio e que gera valor para o investidor.

Alguns aspectos que não podem faltar na sua apresentação são: dados sobre a concorrência, planejamento de marketing, tipo de investimento, etc.

  1.  Inove:

Inovação é a alma de toda e qualquer startup. Se esse fator não faz parte do seu core business, temos más notícias para sua empresa: é provável que ela não avance na jornada de captação de recursos em Venture Capital.

Os investidores precisam, então, confiar no potencial de inovação da empresa, avaliando a tecnologia utilizada, o nível técnico da equipe e o nível de satisfação da sua carteira de clientes. Além disso, a capacidade da sua empresa inovar para manter a sua vantagem competitiva no mercado também será avaliada pelos investidores interessados na tomada de decisão.

  1.  Trabalhe o seu networking:

Você precisa conhecer investidores que fazem sentido para sua empresa. A melhor forma de fazer isso é ampliar a sua rede de networking.  Você pode, por exemplo:

  • Participar de eventos do setor;
  • Inscrever-se em programas de aceleração e incubação;
  • Conectar-se com investidores via LinkedIn.

Curtiu esse conteúdo? Leia mais artigos sobre o assunto no nosso blog

Conta Simples
Conta Simples
A união entre conta PJ, cartão corporativo e software de gestão financeira em um só lugar. Conheça e abra sua conta gratuita!
Conta Simples
Conta Simples
A união entre conta PJ, cartão corporativo e software de gestão financeira em um só lugar. Conheça e abra sua conta gratuita!
Não sabe como usar os cartões corporativos no seu negócio?

Confira agora como os múltiplos cartões
ajudam no controle das despesas!