Conta Simples está entre as 21 Startups Emerging Giants

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
banner do material Fever Play

Um dia após entrar para a lista das 100 Startups to Watch, a Conta Simples passou a figurar em outra importante seleção de destaque no ecossistema de inovação e empreendedorismo. A fintech foi indicada como uma das 21 Emerging Giants Startups do Brasil. O levantamento foi divulgado pela consultoria KPMG, na quinta-feira (08/09). 

A classificação reúne empresas em crescimento acelerado que se destacam no setor, mercado e geografia onde atuam, como também por suas jornadas de expansão relevantes e participação em rodadas de investimento de sucesso. 

A indicação rendeu ainda à Conta Simples a participação na terceira turma do Programa Emerging Giants no Brasil, iniciativa da KMPG para apoiar startups com em processo de expansão e escalabilidade

O programa contempla diversas frentes de atuação como mentoria com profissionais de diferentes especialidades e setores, com temas como M&A, Fundraising, IPO Readiness, Growth; conexão com outras Emerging Giants nacionais e globais e com a KPMG para fomentar parcerias e negócios. Inclui ainda a participação em eventos exclusivos e a prestação de serviços customizados sob demanda.

“As Emerging Giants tem apresentado forte potencial de crescimento, com muitos casos de expansão internacional e transações de M&A. Dos US$ 9,5 bilhões investidos em startups por Fundos de Venture Capital em 2021, cerca de US$ 1 bilhão foram direcionados para as Emerging Giants”, afirma o sócio-diretor líder do Programa Emerging Giants da KPMG no Brasil, Diogo Garcia.

Entenda a classificação das Emerging Giants 

O levantamento das Startups Gigantes Emergentes foi feito pela KMPG em parceria com o Distrito. Entre as 15 mil startups do banco de dados desta plataforma de inovação, 1.034 se adequaram aos critérios do primeiro filtro, o qual considerou dados de investimentos, maturidade, idade e porte

Em uma segunda etapa, 122 foram avaliadas por outros indicadores, incluindo critérios qualitativos classificatórios de diversidade no time de founders e potencial de crescimento, sobretudo no pós-pandemia. 

Nessa amostra de 122 Emerging Giants no Brasil na lista da KPMG, as Fintechs ocupam a liderança, representando 23% do total. Em segundo lugar estão as Healthtechs (14,8%), seguidas por Retailtechs (9,8%), Edtechs (5,6%), Martechs (4,9%), Deeptechs (4,9%), Adtechs (4,9%) e HRtechs (4,1%).

“O ecossistema de startups é um excelente vetor para o avanço da inovação e do empreendedorismo no Brasil. As Emerging Giants são empresas jovens que operam com muita tecnologia e estão em crescimento acelerado. Seus fundadores criam negócios disruptivos com oferta de produtos aderentes com as necessidades do mercado. Além disso, essas startups apresentam elevado potencial de tração e atração de investimentos”, afirma Jubran Coelho, sócio-líder de Private Enterprise na KPMG do Brasil e na América do Sul.

Raio-x das Emerging Giants

Do total das Emerging Giants, 75%  atuam com um modelo de negócios B2B e juntas já empregam mais de 15 mil pessoas. A maioria delas (27,9%) têm entre 51 e 100 funcionários.

Mais da metade das startups têm fundadores com experiências anteriores na criação de negócios, o que revela a elevada relevância que experiência e networking proporcionam.  

Não sabe como usar os cartões corporativos no seu negócio?

Confira agora como os múltiplos cartões
ajudam no controle das despesas!