Margem de lucro: tudo o que você precisa saber

Acompanhar a margem de lucro de uma empresa pode ser imprescindível para o seu crescimento. Matheus Peçanha, economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV) explica como fazer isso.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
banner do material Fever Play

Quando o assunto é empreendedorismo e gestão de negócios, a margem de lucro de uma empresa é um tema que não pode ser deixado de lado. Afinal, esse é um indicador fundamental para medir como o negócio está se posicionando no mercado e se ele possui potencial de crescimento no curto, médio e longo prazos.

É a partir desse dado, que a gestão financeira da empresa vai conseguir mensurar se as estratégias de negócio estão sendo eficazes ou não, fazendo as devidas correções de rota, conforme necessário, a fim de garantir o seu crescimento de forma sustentável.

Mesmo sendo um assunto crucial para a sobrevivência dos negócios, ainda é comum percebermos que muitos empreendedores e gestores financeiros possuem dúvidas sobre como calcular a margem de lucro de forma adequada.

Para ajudar a entender com propriedade o conceito de margem de lucro, como calculá-la e o que é considerada uma margem ideal, preparamos um conteúdo completo, com dicas e comentários de Matheus Peçanha, economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (IBRE/FGV).

Fique conosco!

margem de lucro
Acompanhar a lucratividade da empresa  auxilia o crescimento de qualquer negócio, por isso, compreender a margem de lucro é imprescindível

O que é margem de lucro?

Como já mencionamos, a margem de lucro de um negócio é um indicador capaz de medir como está a atuação da empresa no seu setor e avaliar a sua saúde financeira.

Em outras palavras, esse dado, representado em porcentagem, traz a proporção do lucro de uma organização dividido pela receita, a fim de indicar como o negócio tem utilizado sua renda para crescer de forma sustentável.

Aqui, é muito importante esclarecer que ter uma receita alta não necessariamente indica que uma empresa grande está indo bem, por exemplo, em relação a um negócio menor, mas com uma margem de lucro bem mais interessante.

Por isso, ter total entendimento sobre esse conceito é tão relevante e deve ser uma prioridade para gestores e empreendedores. 

Matheus Peçanha, economista do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (IBRE/FGV), considera que, sem o entendimento e monitoramento da margem de lucro da empresa, tanto a margem de lucro bruta, quanto a líquida, o empreendedor não será capaz de conhecer a fundo a sua estrutura de custos

“Muitos empreendedores e microempreendedores não têm dimensão dos seus custos, principalmente os que atuam no setor de serviços. Isso acaba tornando um pouco mais difícil de mensurar seus custos diretos, assim como seus custos variáveis e fixos, levando-os a confundir a receita com o lucro”, pontua.

Segundo o especialista, quando o empreendedor possui conhecimento pleno de sua estrutura de custos, é possível desenvolver estratégias para reduzi-los ou prever até onde é possível aumentá-los, concedendo descontos nos produtos, repassando eventuais inflações, etc.

“Entender esse conceito é importante, inclusive, para que o empreendedor possa fazer o benchmarking com a concorrência e entender como está a sua empresa em relação ao mercado”, completa o economista.

Para garantir que esse conceito ficou claro, vamos aprofundar as particularidades que diferenciam a margem de lucro bruta da líquida:

  • Margem de lucro bruta:  é o percentual obtido da subtração entre o faturamento e todos os custos e despesas variáveis. Esse indicador é utilizado para medir o quanto a empresa terá de lucro bruto para pagar todos os custos fixos da operação. Ou seja: trata-se da rentabilidade da empresa em relação aos seus investimentos;
  • Margem de lucro líquida: trata-se do valor final obtido da dedução de todos os custos fixos da empresa, como impostos, telefones, despesas com administrativo, entre outros, do lucro bruto. Em outras palavras: indica o quanto a empresa lucrou frente ao que entrou como receita em seu caixa.

Como calcular a margem de lucro da sua empresa?

Com o conceito de margem de lucro bem definido, chegou a hora de aprender como calcular esse dado. 

Em linhas gerais, a margem de lucro é obtida a partir da soma do seu faturamento total e da subtração desse valor por tudo aquilo que foi gasto para a operação da empresa.

A fórmula para calcular a margem de lucro de uma empresa é a seguinte:

margem de lucro% = lucro bruto (receita total – custos) / receitas totais * 100

Por exemplo, se a sua empresa faturou R$ 50 mil em um mês, com custos operacionais de R$ 10 mil, a margem de lucro será de:

  • Receita total: R$ 50.000
  • Custos: R$ 10.000
  • Lucro bruto: R$ 50.000 – R$ 10.000 = R$ 40.000
  • Margem de lucro% = R$ 40.000/R$ 50.000 
  • Margem de lucro% = 0.8 x 100 
  • Margem de lucro% =  80%

Ou seja, a margem de lucro bruto do negócio foi de 80%.

Margem de lucro ideal

acompanhamento da margem de lucro
De que maneira você sabe que a sua margem de lucro é saudável?

Mesmo entendendo como calcular, ainda fica o questionamento: mas como saber se a margem de lucro do meu negócio é a ideal frente ao mercado e à concorrência?

Para isso, existem diversos critérios, que vão depender muito do setor de atuação da empresa e dos serviços prestados. 

Peçanha explica: “academicamente, existem bancas de margem bruta estipuladas para diversos setores da economia, que podem ser encontradas por meio de pesquisa. Geralmente, são baseadas na média dos maiores players daquele setor.

Essa margem é calculada e influenciada pela estrutura de custo daquele mercado, elasticidade da demanda, quantidade de firmas atuantes. Então, geralmente, setores com uma estrutura de custo pesada ou uma demanda muito elástica, ou muitas firmas ativas, tendem a possuir margens menores e vice-versa.”  

Segundo o especialista, via de regra, se com a margem líquida da empresa, seus sócios conseguem extrair uma remuneração aceitável e ainda reinvestir no negócio, é provável que a organização esteja com uma margem de lucro boa.

Com tudo isso em mente, é possível perceber que a margem de lucro é um dado valioso para qualquer empresa e não conhecê-la pode levar o negócio à falência. Segundo Matheus, o risco de uma empresa não conhecer sua margem é justamente vulnerabilizar sua estrutura de custos, que pode vir a ser “engolida” pelas despesas. 

“Num período como o atual, por exemplo, com uma inflação de custos bem pressionada e bem disseminada, não conhecer suas margens impede o empreendedor de saber até onde sua estrutura financeira aguenta. Ou seja, ele não sabe se vai conseguir repassar esses custos, ou se vai ter que reduzir sua margem para não perder demanda, não perder receita, até a crise passar”, reforça.

Diante disso, fica fácil notar que conhecer a margem de lucro pode fazer toda a diferença para a saúde financeira de uma empresa, certo? Agora você pode colocar em prática esse conceito e trabalhar de uma forma mais consciente a gestão financeira da sua empresa.

Conta Simples
Conta Simples
A união entre conta PJ, cartão corporativo e software de gestão financeira em um só lugar. Conheça e abra sua conta gratuita!
Conta Simples
Conta Simples
A união entre conta PJ, cartão corporativo e software de gestão financeira em um só lugar. Conheça e abra sua conta gratuita!
Não sabe como usar os cartões corporativos no seu negócio?

Confira agora como os múltiplos cartões
ajudam no controle das despesas!