Parece que esse país está cheio de pessoas que enfrentam filas. Quantas vezes passamos em frente a uma casa lotérica e vemos pessoas alinhadas à espera de atendimento? Além de gerar cansaço, aguardar que a fila ande traz ansiedade e frustração, não é?

Microempreendedores Individuais (MEIs) precisam fazer muitos pagamentos. São tributos mensais, boletos de prestações, contas de água, de luz e fatura do cartão de crédito. Por que gastar tempo e adquirir uma estafante carga de desconforto? Seu negócio é um investimento sério e necessita que você esteja bem e disponível para administrá-lo.

Pagamentos MEI em bancos convencionais e caixas eletrônicos

Abrir conta pessoa jurídica (PJ) em um banco convencional pode ser a primeira opção que surge na cabeça do MEI. Afinal, a maioria dos bancos mostra uma história longa de sucesso na gestão financeira de capital. De posse da conta e diante da necessidade de realizar um pagamento, o empreendedor se dirige a um caixa convencional ou a um caixa eletrônico dentro de uma agência.

Certo, pode ser. Mas é bom lembrar que não é de hoje que os bancos convencionais vêm criando problemas para seus clientes. Embora a legislação atual tenha o propósito de diminuir o tempo de espera nos bancos, ainda encontramos exemplos recentes do descumprimento dela.

Você poderia alegar que há possibilidade de pagar boletos em caixas eletrônicos “vermelhos” localizados longe das agências bancárias. No entanto, é perceptível a diminuição no número desses caixas eletrônicos em resposta aos ataques cometidos por quadrilhas. A repercussão desses arrombamentos aumenta ainda mais a sensação de insegurança dos clientes dos bancos.

Além disso, cada banco estipula um limite diário a ser sacado da conta corrente. Quando você precisa fazer vários pagamentos em um único dia, se esse limite for atingido antes que você tenha concluído todos, você tem um problema. Já imaginou se um ou mais boletos que não puderam ser pagos forem justamente os que estão no dia do vencimento? Mesmo que a data de vencimento não esteja próxima, nesse caso o sistema operacional do caixa eletrônico não permite nem mesmo que você agende o pagamento para outra data.

Daí você vai à sua agência bancária para tentar quitar a dívida após a data de vencimento da parcela. Pois há relatos de consumidores sendo tratados pelo banco praticamente como criminosos.

Pagamentos MEI através de débito automático e de celular

Se você já tem uma conta corrente PJ através da qual administra financeiramente seu negócio, então a automatização dos pagamentos vem te poupando tempo em fila.

Outro jeito de fazer pagamentos MEI em uma instituição bancária é instalar o aplicativo do banco no computador ou smartphone. Com a ajuda desse aplicativo, a câmera do celular é capaz de ler o código de barras no boleto. A expansão recente do acesso à internet permitiu que fosse desenvolvido esse modo de efetuar pagamentos. É o que se conhece como banco digital. Não apenas pagamentos, mas outras operações financeiras podem ser realizadas com o aplicativo instalado no celular.

Pagamentos MEI através de conta corrente digital

A estratégia de efetuar pagamentos pelo celular é sem dúvida alguma vantajosa no sentido de que ela proporciona comodidade e economia de tempo. Porém, ela não te livra de gastos com taxa de manutenção da conta corrente. Sim, porque o titular da conta PJ e usuário do aplicativo é, afinal, o cliente de algum banco.

Normalmente as contas correntes PJ são tarifadas em exagero. Além disso, o MEI está sujeito a uma enorme burocracia durante o processo de abertura de uma conta corrente PJ em um banco.

Estamos na era digital. Um dos seus qualitativos é a simplificação de algumas tarefas. Os pagamentos, por exemplo, podem ser agendados ou concretizados apenas com o toque das pontas dos dedos. Para isso é preciso um smartphone e um aplicativo de celular. Mas a diferença aqui é que não existe um banco envolvido no processo.

Empresas que juntam gestão financeira e tecnologia e que são conhecidas como fintechs oferecem a empreendedores a chance de abrir uma conta corrente digital. O MEI ou proprietário de pequena empresa preenche um cadastro online, sem que lhe seja exigido, por exemplo, a certidão negativa de débito. Ao contrário dos bancos, muitas dessas empresas não cobram tarifa de manutenção da conta corrente digital.

Agora seria natural você, MEI, ter dúvida de como pagar seu fornecedor através de sua conta digital, sendo que ele não tem esse tipo de conta. É completamente possível e descomplicado efetuar esse pagamento. Pode ser por transferência, por DOC ou por TED. Ainda que a prestação desses serviços seja cobrada pela fintech, o valor será bem menor do que aquele praticado por bancos.

A Conta Simples é uma excelente opção de parceira fintech para MEIs, profissionais autônomos, freelancers e pequenos empresários. Depois de se cadastrar e abrir uma conta corrente digital, o empreendedor poderá fazer todos os pagamentos de que necessita. O usuário terá acesso a aplicativos nativos e seguros, que reconhecem códigos de barra. E mais: se seu fornecedor também é parceiro da Conta Simples, a transferência entre sua conta e a dele é inteiramente gratuita. Tudo prático, dinâmico, simples.

Empreendedores cadastrados na Conta Simples também terão direito a um cartão de crédito sem que seja cobrada anuidade. Trata-se de um cartão de crédito digital associado a um plano pré-pago. Seus benefícios superam os oferecidos pelos cartões de crédito convencionais. Com o cartão, você paga as parcelas da compra de equipamentos, acessórios e utensílios da sua empresa.

Não pense que para por aí. Fintechs como a Conta Simples apresentam soluções financeiras na forma de empréstimo. Você, que deseja investir na sua microempresa, mas não quer vê-la sobrecarregada com taxas de juros bancários, mude de direção. Siga para o universo digital dos bons negócios!

Deixe uma resposta