Ponto de equilíbrio: como calcular e qual a sua importância

Saiba como calcular o ponto de equilíbrio para entender a sua importância para um negócio.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
banner do material Fever Play

Mesmo sendo considerado um indicador simples, o ponto de equilíbrio é muito importante porque evidencia a viabilidade de um negócio.

De acordo com os especialistas, trata-se de algo de extrema relevância a ser analisado, mas que muitos empreendedores acabam esquecendo de olhar.

Por isso, se você já pensou em abrir uma empresa ou até mesmo já tem esse negócio funcionando, uma questão fundamental é verificar se a ideia é viável por meio do cálculo do ponto de equilíbrio.

Mas, afinal, o que é ponto de equilíbrio?

O ponto de equilíbrio tem o objetivo de identificar o nível de atividade mínimo – em dinheiro ou em unidades – para uma empresa operar sem ter prejuízo

Em inglês, ele também é conhecido como breakeven point e significa o momento de equilíbrio da empresa, em que custos e despesas operacionais se igualam à receita. Nesse ponto, não há mais prejuízos, mas também não há lucros. Qualquer coisa acima desse ponto pode ser considerada lucro.

No ponto de equilíbrio, receitas e gastos (custos e despesas) se igualam, de forma a igualar o lucro a zero

Como definir o ponto de equilíbrio de uma empresa?

Segundo Diogo Robaina, professor de Finanças Corporativas da FGV, é possível analisar esse conceito segundo duas visões: a contábil e a econômica

homem diante de uma balança analisando seu ponto de equilíbrio

Ponto de Equilíbrio Contábil (PEC)

Para calcular o ponto de equilíbrio contábil, é preciso identificar os gastos fixos da empresa e eleger um produto (com mais produtos também é possível) para, após calcular a margem de contribuição unitária, calcular a quantidade necessária que deve ser vendida para alcançar o lucro zero

Assim, pode-se calculá-lo com a seguinte formulação: 

PEC =  (gastos fixos)/(margem de contribuição unitária) 

Um exemplo prático pode ajudar nesse entendimento. Imagine que você queira abrir uma loja de bolos. O primeiro passo é identificar qual será o preço do bolo e por quanto venderá esse produto. 

Você definiu que o bolo será vendido por R$25,00 reais, e que o custo para produzi-lo será igual a R$12,00 (farinha, leite, baunilha, açúcar,…). Assim, podemos dizer que a margem de contribuição unitária será igual a R$25,00 – R$12,00 = R$13,00

Você também identificou que os gastos fixos para abertura do negócio (aluguel, funcionários, luz…) são de R$15.000,00.

Logo, o PEC será dado por 15.000/13 = 1.153

Isso significa que será preciso vender 1.153 bolos para igualar o lucro do seu negócio a zero. Ou seja, não ter lucro nem prejuízo. 

Ponto de Equilíbrio Econômico (PEE)

Quando abrir sua empresa, você almeja ter lucro, certo? Para esse caso, você deve calcular o PEE, incluindo o lucro almejado no valor que o negócio deve pagar, além dos gastos fixos. Assim, consideramos: 

PEE =  (gastos fixos+lucro)/(margem de contribuição unitária) 

Ao interpretarmos o ponto de equilíbrio, notamos que quanto menor for esse valor, melhor. E, ainda, quanto mais acima do ponto de equilíbrio a empresa operar, melhor

Uma limitação do ponto de equilíbrio que não deve ser esquecida é que o preço de venda e o custo variável unitário permanecem constantes, independentemente do nível de atividade – volume produzido e vendido, pressupondo ainda a perfeita distinção entre gastos fixos e variáveis.

Apesar disso, estamos falando de um excelente indicador para se aplicar ainda hoje.

Qual é a importância do ponto de equilíbrio?

Quando o empreendedor conhece o ponto de equilíbrio da sua empresa, ele consegue ter uma noção mais precisa da viabilidade do negócio. 

Ricardo Rocha, professor de Finanças do Insper
Ricardo Rocha, professor de Finanças do Insper

Esse tipo de análise pode proporcionar percepções valiosas, segundo Ricardo Rocha, professor de Finanças do Insper, como avaliar se o esforço que está sendo feito não dá conta de manter a empresa de pé, ou seja, se será necessário mudar a estratégia reduzindo as despesas ou aumentando a receita.

Esse cálculo permite verificar onde cortar gastos, se é possível otimizar alguma coisa e em que área e ainda como aprimorar o planejamento financeiro da empresa como um todo, fazendo com que o plano de vendas esteja alinhado com as metas, para que os custos da operação sejam cobertos.

Natália Plascak
Natália Plascak
Especialista em Conteúdo na Conta Simples, é formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em Jornalismo e tem um MBA em Gestão de Mídias Digitais e Inteligência de Negócios pela ESPM. Trabalha com Marketing Digital desde 2017.
Natália Plascak
Natália Plascak
Especialista em Conteúdo na Conta Simples, é formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em Jornalismo e tem um MBA em Gestão de Mídias Digitais e Inteligência de Negócios pela ESPM. Trabalha com Marketing Digital desde 2017.
Não sabe como usar os cartões corporativos no seu negócio?

Confira agora como os múltiplos cartões
ajudam no controle das despesas!