Mulheres em conselhos: elas estão ocupando mais cadeiras e buscando mais representatividade

Veja como a atuação de mulheres em conselhos está se delineando nos últimos anos e como Magali Leite, CFO e conselheira, encara a participação feminina nessa área.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
banner do material Fever Play

De acordo com uma pesquisa feita pela consultoria Spencer Stuart (Brasil Board Index 2021), atualmente, as mulheres ocupam 14,3% das cadeiras em Conselhos de Administração no Brasil. 

Esse número reflete um aumento em relação ao ano de 2020, em que a participação feminina era de 11,5%, e reforça que o envolvimento das mulheres em conselhos está mudando, já que, em 2021, o salto foi de 12,8% para 19% de novas conselheiras. 

Ainda que não seja a realidade ideal, o importante é perceber que esse cenário vem se transformando ao longo dos anos e mostrando a relevância da diversidade dentro das organizações. 

Magali Leite, CFO, conselheira de Administração e conselheira fiscal, faz parte desse grupo de mulheres que vem trilhando esse caminho. “Em 2015, eu estava trabalhando em uma companhia de capital aberto e refletindo muito sobre o papel do conselho, achando que eu poderia seguir uma atuação diferente e tirei um ano sabático para estudar e me transformar em conselheira de administração. Desde essa época, concilio a carreira de CFO com a de conselheira”, conta a executiva de finanças. 

Além disso, Magali é vice-presidente do IBEF Conecta-Mulher, do IBEF (Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças), iniciativa que tem como objetivo aumentar a diversidade, incentivando a integração entre gêneros no ambiente de negócios. “Fazemos de tudo para ajudar a aumentar a quantidade de mulheres na carreira de finanças e atrair jovens para essa área”, destaca. 

A líder financeira afirma que vem de uma época de carreira em que ela era a única mulher em todos os fóruns. “Já lidei com muita situação difícil, de preconceito, de discriminação. Com o tempo, fui aprendendo a me defender e a ajudar outras mulheres que viveram a mesma situação. Acredito muito que essa questão da sororidade de verdade entre as mulheres talvez seja um caminho que a gente precise reforçar”, revela. 

Segundo a líder financeira e conselheira, em São Paulo, vive-se um mundo privilegiado de mercado de trabalho e de oportunidades, mas, ainda assim, hoje as mulheres são muito sub-representadas, tanto nas posições executivas quanto nas de conselhos. “Isso é um pouco do meu trabalho do dia a dia para ajudar a diminuir esse gap que a gente ainda encontra. Acho que de certa maneira as mulheres ainda estão buscando se situar nesse contexto e se organizar para evoluir. Ainda é um processo muito de tentativa e erro. Não tem muita cartilha para isso. Vivemos em um mundo muito masculino na área corporativa”, explica Magali.

Magali Leite e as mulheres em conselhos
Magali Leite, CFO, conselheira de Administração e conselheira fiscal

Outro ponto que ela também ressalta é de que há evidências comprovadas de que a diversidade aumenta a qualidade dos resultados. “Isso é fundamental de estar entranhado na cultura da organização. É uma forma de a gente deixar um legado de mais qualidade para as próximas gerações profissionais. Precisamos ir construindo isso desde já. E esse papel não adianta achar que alguém vá fazer por nós. Cada um tem um pedacinho dessa responsabilidade.” 

“O papel de um conselho é ajudar a escolher as principais cadeiras de uma instituição. É cuidar da estratégia, olhar para o mercado e verificar o que está faltando para dar o próximo passo do negócio. Para ser bem-sucedida, a atuação de um CFO em um conselho precisa ultrapassar muito o que se sabe enquanto CFO. Talvez, esse seja o maior diferencial que a gente precisa construir para chegar a uma cadeira de conselho.” Magali Leite, CFO, conselheira de Administração e conselheira fiscal

Conselhos para mulheres que desejam ocupar a cadeira de CFO

Como Magali também é CFO, ela também deixa algumas dicas para quem pretende ocupar essa cadeira dentro das organizações. Confira os conselhos dela a seguir:

  • mantenha-se atualizada e em constante aprimoramento, buscando sempre o estudo de questões técnicas. “O que eu costumo dizer para as mulheres é isso: a parte técnica precisa ser desenvolvida a ponto de não ser questionável.”;
  • aprenda a fazer networking. “Procure evoluir o seu círculo de relacionamento ao longo da carreira à medida que você vai amadurecendo, aumentando a experiência e o seu grau de conhecimento de pessoas influentes.” ;
  • busque mentores. “Isso ajuda a buscar uma rota, a repensar os seus planos e a verificar se os seus caminhos estão coerentes e alinhados ao seu perfil.”;
  • tenha um planejamento de carreira. “É sempre bom ter isso de uma forma bastante disciplinada e sempre se organizar para o próximo passo, construindo o que precisa ser feito para alcançar novas posições.”;
  • cuide do desenvolvimento de suas soft skills. “O financeiro tende a ser mais duro porque a gente aborda as questões mais difíceis, então cuidar da inteligência emocional é muito importante também.”
Natália Plascak
Natália Plascak
Especialista em Conteúdo na Conta Simples, é formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em Jornalismo e tem um MBA em Gestão de Mídias Digitais e Inteligência de Negócios pela ESPM. Trabalha com Marketing Digital desde 2017.
Natália Plascak
Natália Plascak
Especialista em Conteúdo na Conta Simples, é formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie em Jornalismo e tem um MBA em Gestão de Mídias Digitais e Inteligência de Negócios pela ESPM. Trabalha com Marketing Digital desde 2017.
Não sabe como usar os cartões corporativos no seu negócio?

Confira agora como os múltiplos cartões
ajudam no controle das despesas!