Um dos maiores problemas para a saúde financeira de uma empresa é a contração de dívidas. Acumulá-las pode ser um círculo vicioso. Muitas acabam falindo por não conseguirem suportá-las. A situação se agrava quando nos encontramos em épocas de crise econômica, com uma inflação que sobe a cada dia, as taxas de juro crescentes, e a economia desacelerando.

Se a sua empresa já contraiu dívidas, então deve estar com o alarme soando. Se está nessa situação deve, o quanto antes, tentar uma renegociação da dívida para valores que consiga suportar. Fazer um acordo com os credores e renegociar os valores é a melhor forma de ultrapassar a situação.

Nos últimos anos a inadimplência tem aumentado muito nas empresas e as causas apontadas é exatamente as taxas de juro muito altas e o recuo da atividade econômica.

Renegociação de dívidas da empresa

Renegociar as dívidas pode significar uma lufada de ar fresco para o caixa da empresa. Com o recuo da economia, as vendas são menores, e com o aumento das taxas de juro fica difícil suportar todas as obrigações com uma entrada menor de dinheiro.

Se a sua empresa já se encontra no vermelho, procurar renegociar as dívidas da empresa é o melhor caminho. Aqui lhe passamos algumas dicas para renegociação de dívidas. Confira!

Faça uma análise dos seus contratos

Antes de mais nada, analise todos os contratos de financiamento para verificar se estes têm alguma irregularidade. No caso de apresentarem taxas abusivas ou provocação de prejuízos elevados, denuncie-os aos órgão defensores assim como ao Banco Central.

Faça cálculos realistas

É imprescindível que faça cálculos realistas antes de pedir um empréstimo. Não adianta negociarem com o banco um valor que já sabem, à partida, que não conseguirão pagar. Assim, antes de partir para uma renegociação, calcule o valor que está disponível a pagar para o empréstimo. Para isso subtraia à sua renda líquida os impostos, custos, benefícios e assim definir um limite para a negociação.

Não se contente com a primeira proposta

Se a primeira proposta oferecida pelo banco não agradar, não deixe de negociá-la. Ofereça uma contraproposta e negocie até chegarem a um acordo favorável às duas partes.

Nós sabemos que essa é uma situação que deixa os empreendedores envergonhados, mas essa não é hora para acanhamentos. Lute sempre para conseguir um bom acordo que possa salvar a sua empresa.

Busque outras alternativas

Porque não passar a sua dívida para outro banco que lhe ofereça opções mais vantajosas? Isso é possível e é uma boa alternativa até na hora de renegociar com o seu banco.

Faça uma pesquisa das taxas de juro que outras instituições estejam praticando, anote também os prazos para pagamentos e os benefícios que lhe oferecem. Com esses dados pode pressionar o seu banco para lhe oferecer melhores condições, e se eles não aceitarem, pode portar a dívida para uma nova instituição financeira.

Alongamento da dívida

Outra opção é pedir o alongamento da dívida. No caso de ter algumas economias, isso poderá ajudá-lo a obter um desconto razoável na negociação.

Planeje o processo de renegociação

Antes de renegociar as suas dívidas, desenvolva um processo para renegociar as suas dívidas segundo alguns princípios.

  1. Relevância. Inicie com os fornecedores e credores com um valor maior em falta mas que sejam os mais importantes para o seu negócio.
  2. Comunicação. Informe os fornecedores e credores da situação que está enfrentando. Fale honestamente com eles mas mostre o seu interesse em cumprir com as suas obrigações e assim encontrarem uma solução que seja vantajosa para ambas as partes.
  3. Transparência. Falando abertamente da sua situação com os credores e fornecedores, ao assumir novos compromissos, faça-o dentro das capacidades que sua empresa tem para pagar.
  4. Parceria. Aja como se os fornecedores e credores fossem parceiros de sua empresa e juntos tentem achar uma solução para o problema.
  5. Credibilidade. Dar credibilidade aos seus fornecedores e credores é fundamental para que eles continuem fazendo negócios com sua empresa. Assim, cumpra com os compromissos celebrados na hora da renegociação de suas dívidas.
  6. Antecipação. Sempre que surgir algum problema que impeça o pagamento do acordado, informe com antecedência seus credores e fornecedores.

Aproveite mutirões

Muitas vezes as instituições financeiras fazem mutirões e campanhas de renegociação de dívidas. Sempre que surgir algum, aproveite. Eles oferecem descontos bem maiores e poderão ser ganhos significativos, podendo chegar aos 50%.

Negocie pela Internet

 
Existem hoje em dia alguns serviços virtuais que se dedicam à negociação da dívida, como o Limpa Nome, ou o Quitei.com. Estes permitem que a empresa consiga chegar a um acordo com o credor através da internet.

Esses serviços virtuais não interferem na negociação entre as partes. No entanto, o melhor será sempre pesquisar a idoneidade desses dites nos órgãos de defesa do consumidor para não ter nenhum imprevisto.

Atente as penalidades

Se você já foi procurado com algumas ameaças de perda de bens, ou perda de salário porque não cumpriu o pagamento de sua dívida, então é nessa altura que deverá ficar ainda mais alerta.

Existem, sim, algumas penalidades permitidas nesses casos, mas as únicas autorizadas pelo CDC são uma multa de 2% em relação ao valor da dívida, assim como juros que não podem ultrapassar o 1% ao mês no caso de atraso de pagamento.

Apesar de algumas empresas tentarem cobrar taxas extras ao consumidor, elas não são permitidas. Tome atenção quando lhe cobrarem despesas por parte de cobrança da dívida. Todas as cobranças adicionais são proibidas.

Procure os órgãos de proteção ao consumidor

Buscar informações nos órgão de defesa ao consumidor pode ser uma mais valia na hora de renegociar a sua dívida. Veja todas as cláusulas de seu contrato de financiamento ou empréstimo para garantir que tudo está dentro da legalidade. Eles saberão indicar-lhe se existir alguma irregularidade.

Depois de negociar não contraia novas dívidas

Essa é a regra de ouro. Nunca, mas nunca, contraia novas dívidas depois de ter conseguido uma renegociação das que tinha anteriormente. Tenha controle de suas finanças e não caia no erro de contrair novos empréstimos.

As dívidas nunca deverão ultrapassar os 35% da sua renda mensal. Tente também ter uma reserva em aplicações financeiras cujo montante seja equivalente a 1 ou 2 prestações.

Siga as nossas dicas para renegociar dívidas de sua empresa. Seguindo todas elas conseguirá um melhor negócio. E não se esqueça de evitar ao máximo contrair novas dívidas, pela saúde do seu negócio!

Deixe uma resposta