As fintechs estão dominando o mercado e forçando os bancos a repensarem suas estratégias e processos. Mas afinal de contas, o que são essas empresas e quais as vantagens elas oferecem para empresários e consumidores? Será mesmo que elas vão continuar crescendo no mercado? Acompanhe agora as principais informações sobre o assunto.

O conceito de fintech é bem recente no mercado global, tendo se popularizado a partir do ano de 2015. De lá para cá a expressão se tornou central na discussão sobre o futuro das instituições financeiras. O tema é objeto de estudo em vários fóruns de empreendedorismo e tecnologia, não só no Brasil, como também no mundo.

Em sua estrutura, a fintech é uma startup, mas com foco bem específico: o mercado financeiro. As vantagens oferecidas pelas fintechs estão entre os principais fatores que possibilitaram o sucesso desse modelo empresarial. Elas surgiram com grande propósito: revolucionar a forma com as pessoas lidam com o dinheiro.

Conceito de startup

Como a fintech nada mais é do que uma startup financeira, é pertinente analisar esses conceitos de forma mais detalhada. As startups são projetos empresariais colocados em prática por grupos de pessoas, geralmente jovens, com propósitos e ideias inovadoras.

O termo surgiu pela primeira vez nos Estados Unidos, no período que ficou conhecido como bolha da internet (entre 1996 e 2001). Existem divergências teóricas sobre as características básicas de uma startup. Alguns entendem que qualquer empresa em sua fase inicial pode receber essa designação.

Outros defendem que startup é a empresa com baixo custo de investimento e manutenção e alto potencial de crescimento no mercado. O conceito mais aceito atualmente, no entanto, retira o foco da empresa e passa a observar as pessoas que a compõe.

Nessa linha, startup seria não a empresa, mas sim o grupo de pessoas com ideias inovadoras, atuando em cenário de incerteza. Eles apostam em modelos de negócio com alto poder de escalabilidade, ou seja, potencial para se multiplicar e crescer com o passar do tempo. Esses jovens empreendedores estão reformulando velhos conceitos existentes no mercado financeiro.

Fintechs x Bancos

Para concretizar seus objetivos, as fintechs encontram no mercado uma grande barreira e concorrente: os bancos. Presentes em todo o mundo, essas instituições financeiras detêm praticamente o monopólio das operações financeiras globais. São instituições tradicionais ricas, mas que agora estão enfrentando um oponente à altura.

As fintechs não são tão ricas quanto os bancos. Muito pelo contrário, elas lidam com um volume de capital muito menor. No entanto, as vantagens oferecidas pelas fintechs superam, em muito, as oferecidas pelos bancos. E isso faz toda a diferença em um cenário de globalização e inovação.

Quando do surgimento das fintechs, os bancos quase não se preocuparam. Por se tratar de instituições já consolidadas, com um número expressivo de clientes, parecia impossível que esse espaço fosse dominado por outros players. A única concorrência enfrentada por um banco, até então, eram outros bancos.

As fintechs não são bancos, pois possuem diferenças significativas quando comparadas a essas instituições. Trata-se de startups financeiras que fazem a união perfeita entre assuntos financeiros e tecnologia. Essa é, pois, a marca registrada de qualquer fintech: o uso expressivo da tecnologia em seus processos e serviços.

Uma das maiores ferramentas utilizadas pelas fintechs é a internet. A maioria dos serviços prestados por essas empresas revolucionárias utilizam a internet. Ao invés de ter que ir a uma agência bancária para abrir uma conta corrente, por exemplo, as pessoas agora podem optar pelo aparelho celular. Nunca foi tão fácil gerenciar dinheiro.

As vantagens das fintechs em relação aos bancos não param por aí. Existem uma série de benefícios para o consumidor por trocar a velha conta bancária por uma conta digital. Os benefícios oferecidos por esse modelo de negócio também valem para os empreendedores, que podem ficar milionários graças às suas ideias inovadoras.

Características de uma fintech

Antes de falarmos de todas as vantagens de uma fintech, vale a pena entender suas características. Como dito, trata-se de empresas inovadoras com foco em serviços financeiros, que se utilizam da tecnologia, em especial a internet e os dispositivos móveis para prestar seus serviços.

Uma fintech raramente conta com bases operacionais de grande estrutura. Exemplo disso é o Nubank, um dos cartões de crédito para pessoa física mais vantajosos da atualidade. A empresa não abriu nenhuma agência, como os bancos, contando apenas com uma sede operacional, para questões internas.

Todos os serviços oferecidos pelo Nubank, desde a abertura do crédito, são realizados pelo celular, através do aplicativo exclusivo da empresa. Nenhum documento é enviado para a abertura da conta, bastando que o usuário tire fotos e envie pelo aplicativo. A resposta da empresa é rápida e a liberação do crédito é imediata.

Vantagens das fintechs para clientes e empreendedores

Para quem empreende, uma das maiores vantagens das fintechs é a possibilidade de grande retorno financeiro, em pouco tempo de empreendimento. Por se tratar de empresas de alta escalabilidade, o sucesso da ideia pode ser astronômico. Negócios que começam com pequeno investimento podem se transformar em empresas bilionárias.

Para os consumidores, a principal vantagem da fintech é a comodidade, praticidade e baixo custo. Sim, as vantagens são muitas para o público consumidor. Diferente dos bancos, essas empresas cobram valores muito baixos pelos serviços. Alguns deles saem até de graça, como é o caso do Nubank, que citamos anteriormente.

Para quem trabalha no mundo dos negócios, um exemplo de fintech com vantagens incríveis é a Conta Simples, uma conta digital sem taxa de manutenção e que ainda oferece aos clientes um cartão de crédito pré-pago gratuito. Diferente do Nubank, que se destina à pessoa física, a Conta Simples foi pensada para empreendedores.

Essas são as vantagens de uma fintech. Esses novos empreendimentos chegaram para ficar. A cada dia que passa, é maior o número de startups financeiras sendo incubadas.

Marcas que podem, no futuro, dominar uma grande fatia do mercado. Tudo isso graças ao fato de estarem simplificando os processos, focando menos no lucro e mais na satisfação dos clientes. O caráter social é um dos motivos pelos quais as fintechs tendem a superar os bancos.

Deixe uma resposta