O PIX é gratuito ou tem tarifas?

Uma dúvida muito comum no mercado financeiro atual é: o PIX é gratuito ou tem tarifas? Funcionando desde novembro, esse meio de pagamento está revolucionando o setor.

Com isso, é importante entender que o PIX é gratuito, mas somente para as pessoas físicas e os MEI. Ou seja, para as pessoas jurídicas ele é pago.

Mas afinal, quais são as tarifas cobradas para empresa e como ele irá inovar a forma de fazer transferência entre contas?

Se você é PJ, confira as principais informações sobre o PIX e qual é a tarifa.

Vamos lá?

O PIX é tão inovador?

A inovação do PIX está diretamente ligada à velocidade de realização da transação. O método não é propriamente novo, já que se trata de uma transferência entre contas.

No entanto, quando as transferências de DOC e TED são realizadas entre correntistas do mesmo banco, dentro do horário definido, o dinheiro leva cerca de uma hora para ser transferido.

O tempo de espera é maior quando a transferência ocorre entre contas de bancos diferentes, que podem levar até um dia para que o dinheiro caia na conta.

Então, nesse ponto, o PIX é inovador, já que após a validação dos dados da conta de destino da transferência, o valor é creditado em até dez segundos.

Portanto, o PIX chegou para substituir as transferências via DOC e TED, pagamentos por cartão de débito e boleto, justamente pela agilidade.

Segurança

Assim, outro ponto importante que é preciso entender está relacionado à segurança dessa operação PIX.

A transferência ocorre a partir dos dados de uma chave PIX para outra chave PIX, ou seja, não é preciso qualquer outro dado do destinatário senão o e-mail, CPF e telefone.

Além disso, as informações são codificadas e criptografadas de ponta a ponta, tornando a possibilidade de fraude ainda mais reduzida.

O PIX nasceu do desenvolvimento tecnológico e está sendo pensado com todos os padrões de segurança para o mundo digital.

O PIX chegou para inovar os meios de pagamentos.

Mas e aí, o PIX é gratuito ou tem tarifas?

O PIX é gratuito para uma grande parcela dos correntistas, aqueles que são pessoas físicas. Porém, para os demais usuários, as empresas ou os PJS, ele tem um custo.

Todos os bancos e instituições financeiras no Brasil podem oferecer o PIX para os seus clientes. Para aquelas instituições com mais de 500 mil contas ativas a oferta desse serviço é obrigatória.

Para as fintechs e empresas em expansão no mercado financeiro, aderir ao PIX ainda é uma questão de estratégia.

Por que aderir ao PIX

As empresas e as pessoas físicas podem usar o PIX como uma forma de receber e fazer pagamentos online com agilidade.

A transação por PIX de envio e recebimento de valores acontece num regime de 24/7, ou seja, a qualquer hora do dia e da semana, inclusive nos feriados.

Os custos

As pessoas físicas e os Microempreendedores Individuais (MEI) não pagam nada para utilizar o PIX. Mas os usuários que são pessoas jurídicas devem arcar com os custos da transação.

No caso das empresas, o banco ou instituição financeira detentora da conta do cliente pode cobrar tarifas tanto pelo envio quanto pelo recebimento dos valores.

A precificação da tarifa deve ser definida diretamente pela instituição financeira que oferece o PIX para os seus correntistas PJ.

No entanto, é importante que você empresário entenda que quando o PIX é utilizado como forma de cobrança, semelhante a um boleto, o pagador não pode ser tarifado.

Além disso, no caso do uso do PIX como uma transferência, o destinatário do dinheiro não poderá ser tarifado.

Os clientes precisam ser informados

A tarifa que é cobrada dos clientes pela transação via PIX deve ser informada da seguinte forma:

  •   no terminal de serviço de transação de pagamento e no comprovante da transação PIX;
  •   tanto no extrato bancário do correntista, quanto no extrato consolidado de tarifas anual;
  •   no demonstrativo das transações de pagamento e nos extratos extraordinários relativos às tarifas;
  •   afixado na tabela de tarifas para os serviços prestados pela instituição financeira, seja nos canais eletrônicos ou no portal da internet.

Por que o meu banco ainda não tem o PIX?

Por ser um sistema criado pelo Banco Central, a regulamentação prevê a obrigatoriedade da adesão apenas para instituições financeiras que possuam mais de 500 mil contas ativas.

Essas instituições compõem um grupo de aproximadamente 30 empresas, entre bancos, fintechs e empresas de pagamento.

Portanto, esse grupo de instituições juntos movimentam quase 90% das transações financeiras realizadas no Brasil.

As demais instituições financeiras podem optar ou não por aderir ao PIX. Porém, o Banco Central recomenda a participação para aumentar a agilidade e competitividade.

Com isso, vale a pena verificar se o seu banco ou instituição financeira que você é correntista se o PIX está disponível e realizar o cadastramento da chave.

Então, agora que você já sabe se o PIX é gratuito ou tem tarifa, é hora de conhecer um pouco mais sobre como os serviços das contas digitais podem ajudar a sua empresa, que tal?

banner

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *