O futuro da gestão financeira das empresas

O futuro da gestão financeira das empresas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O que a pandemia deixou ainda mais evidente é que a sustentabilidade de uma empresa depende de como ela investe em gestão, principalmente de suas estratégias financeiras. Com negócios cada vez mais digitais, dados têm se tornado o centro das decisões das empresas, ajudando-as a identificar novas oportunidades, melhorar a experiência do cliente e a inovar. E a função financeira e os líderes da área estão no centro dessa revolução. Segundo pesquisa, os CEOs já estão procurando CFOs e equipes de finanças para fornecer análises e insights que apoiem a estratégia e a tomada de decisões das empresas. 

A tecnologia, claro, é ponto-chave nesse processo. Uma boa gestão está vinculada ao uso de ferramentas financeiras, ao controle do orçamento e à implementação de um bom planejamento estratégico. Softwares de gestão, com novos sistemas de gerenciamento financeiro que aproveitam a nuvem, bancos de dados, visualização e dispositivos móveis estão permitindo que o CFO e as organizações ajudem a automatizar tarefas repetitivas do dia a dia, otimizando as atividades da empresa e trazendo mais produtividade.

Quando as informações se tornam instantaneamente disponíveis, os ciclos tradicionais tornam-se desnecessários. Isso libera as pessoas para se concentrarem em descobrir novos insights e agir de acordo com eles. Assim, o time financeiro se transforma em um perfil mais estratégico, atuando como parte integrante do negócio e não mais como um departamento separado. 

O futuro da gestão financeira das empresas

Para a McKinsey, a gestão financeira do futuro é aquela que terá capacidade de simular vários cenários e estar melhor preparada para mudanças bruscas, como a causada pela pandemia. Será fundamental que as equipes adotem cada vez mais análises avançadas, compreendam a tecnologia e os sistemas para saber se eles são capazes de permitir maior eficiência, agilidade e percepções. 

As empresas já estão indo por esse caminho. Pesquisa de 2018 da Accenture apontou que 74% dos times financeiros já adotam análises preditivas e 61% usam inteligência artificial. No entanto, 76% dos CFOs identificaram que a tecnologia só traz resultado quando é integrada ao negócio como um todo. Isso significa posicionar o departamento financeiro como um parceiro, se aproximando de outras áreas como marketing, vendas etc. 

O perfil do CFO também está em transformação. O líder cada vez tem desempenhado um papel mais proativo em influenciar mudanças na empresa. Em um estudo da Universidade de Toronto, futuros CFOs foram aconselhados a diversificar sua experiência para ganhar capacidade de se adaptar às mudanças e de construir estratégias.

Com um líder multidisciplinar e uma software de gestão que agiliza processos, integra plataformas e gastos, a experiência e a jornada financeira das empresas se tornam mais inteligentes e preparadas para o futuro.

Pix, PISP e as novas possibilidades para empresas

O futuro já está batendo à porta para as empresas. Depois do Pix, o Banco Central anunciou o PISP, uma nova modalidade de pagamento que também pode beneficiar as pessoas jurídicas. Trata-se de mais um aceno em direção à modernização do sistema bancário no Brasil, o open banking.

A novidade dá abertura ao desenvolvimento de novos modelos de negócio nos quais estarão inseridos os times financeiros do futuro. Leia mais sobre o PISP.

Inscreva-se em Nossa Newsletter

Receba novos conteúdos toda semana. Fique tranquilo, não vamos lotar sua caixa de entrada!

Postagens Relacionadas

Inscreva-se em Nossa Newsletter

Empreender é como um jogo de videogame. A cada fase que passa, os desafios e obstáculos ficam mais difíceis. Com o tempo.