Como realizar uma conciliação bancária eficiente em uma startup

Veja como é possível melhorar o processo de conciliação bancária de uma startup e acabar com a dor de cabeça de fazer esse tipo de atividade dentro do financeiro.
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no pinterest
banner do material Fever Play

Alcançar uma gestão financeira adequada é pré-requisito para qualquer negócio que deseja expandir. Isso porque empresas e startups precisam levantar recursos, seja por meio de capital próprio ou por investimentos de terceiros, para crescer.

Quando se trata de captar investimentos externos, oferecer apenas um produto inovador ou uma ideia atraente não é suficiente para atrair os olhares dos investidores. A startup precisa, sobretudo, mostrar-se rentável e capaz de alcançar a escalabilidade no longo prazo.

Sem um financeiro equilibrado e em ordem, essa missão se torna praticamente inalcançável, e é exatamente nesse ponto que a conciliação bancária eficiente e automatizada possui papel fundamental para a empresa. 

Neste artigo, vamos abordar as definições para conciliação bancária e explicar as razões pelas quais toda empresa precisa prestar atenção no tema. Além disso, vamos dar três dicas, que vão ajudar a tornar tudo mais eficiente.

Aproveite a leitura!

O que é conciliação bancária?

Apesar de ser fundamental para as empresas que desejam crescer, a conciliação bancária ainda é um assunto que falha em se manter no radar dos empreendedores, que acabam direcionando suas energias para outros assuntos. 

Dessa forma, antes de aprofundarmos os detalhes sobre a importância da conciliação bancária nas startups, vamos entender do que ela se trata. 

Conciliação bancária é, de forma objetiva e resumida, a ação de acompanhar rotineiramente (semanalmente, mensalmente ou anualmente) as finanças de uma organização, a fim de verificar a ocorrência de divergências e assegurar se as transações de entradas e saídas estão ocorrendo de maneira correta. Com essa atividade, o gestor financeiro terá uma visão clara e real da saúde financeira do negócio.

Você também pode se aprofundar no assunto e otimizar esse processo com o e-book de conciliação bancária, que traz orientações valiosas para você deixar de ter dor de cabeça com isso.

Por que a empresa precisa de conciliação bancária?

No tópico anterior, percebemos que, por meio da conciliação bancária, é possível ter um panorama real e transparente da saúde financeira da empresa, fator crucial para sua sobrevivência.

Porém, para que a gestão alcance bons resultados, é fundamental que ela seja realizada no detalhe, a fim de acompanhar e evitar todos os possíveis erros. Sendo bem realizada, essa atividade possibilita análises e aprimoramentos que podem otimizar o planejamento financeiro e, consequentemente, aumentar a rentabilidade do negócio.

“A conciliação é fundamental para formalizar e organizar as contas da empresa, além de deixar mais dinheiro disponível para outros custos. Vale ressaltar também que ela é super importante durante os processos de análise e diligência de investimentos. Sem isso organizado, as startups podem não passar por uma das etapas finais de aprovação e acabar ficando sem o aporte”, afirma Cássio Azevedo, Venture Capitalist da Astella Investimentos.

Entre os impactos negativos de não realizar a conciliação bancária na startup estão:

  • Inconformidade entre as finanças reais e as lançadas no controle interno. Aqui, todo cuidado é pouco, pois discrepâncias dessa natureza, além de comprometerem o planejamento financeiro, também afetam diretamente o grau de confiabilidade da empresa. Já pensou ter esses dados conflitados em auditorias externas? Nenhuma empresa quer passar por esse constrangimento;
  • Perda de controle de caixa. Se a empresa não possui um histórico detalhado de tudo o que entra e sai do caixa, isso significa que sua integridade financeira está sob risco. Quando se trata de controle financeiro, qualquer valor, do menor ao maior, precisa ser registrado, evitando perdas em maiores proporções;
  • Comprometimento dos investimentos externos. Uma consequência grave para qualquer startup que sonha em crescer é a perda dos investimentos externos, em decorrência da não conciliação. Como já vimos, ter clareza e transparência da saúde financeira é um fator decisivo para manter e atrair investidores para a empresa.
conciliação bancária com tecnologia

A conciliação bancária garante, portanto, que erros, divergências e até fraudes sejam detectadas e solucionadas, mantendo a integridade da empresa intacta, o que, entre outros fatores, ajuda a empresa a se prevenir de contrapartidas financeiras e judiciais.

Dicas para realizar a conciliação bancária em uma startup

No universo das startups, a conciliação bancária, até pela própria natureza do setor, deve ser adaptada ao contexto de inovação, aproveitando todos os benefícios da transformação digital e das ferramentas de automação.

A startup só tem a ganhar com a conciliação bancária, que, sem dúvida, vai ajudar a empresa a crescer de forma sustentável, auxiliando gestores e empreendedores na análise dos seus principais indicadores de sucesso. Muito além de resolver a parte burocrática inerente a qualquer negócio, aqui, ela age como parceira estratégica da empresa ao abrir caminho para novos investimentos e escalabilidade. 

Pensando em melhor ajudar as empresas nessa jornada, listamos três dicas de como realizar a conciliação bancária eficiente em uma startup

  1. Trabalhe o controle financeiro

O primeiro passo é assegurar que a gestão financeira da startup esteja funcionando perfeitamente. Tudo deve estar circulando conforme registro, a fim de evitar erros como lançamentos em duplicidade, a apuração indevida de impostos ou outros problemas que gerem embargos fiscais e/ou judiciais.

  1. Faça uma lista das contas bancárias

Essa dica parece óbvia, mas ela é imprescindível para a conciliação bancária de qualquer empresa. Isso porque, apesar de ser uma tarefa simples, ela deve ser feita com atenção, pois deixar de mencionar qualquer uma delas pode pôr toda a análise a perder. Dessa forma, reserve um tempo para listar com atenção e detalhe as contas que a empresa possui, identificando-as por tipo, agência, número da conta, dados cadastrais, saldos, etc.

  1.  Invista na transformação digital da sua empresa

Com inovação e automação, é possível explorar todo o potencial das informações de seu negócio de modo ágil e eficaz. Isso porque, por meio da tecnologia, são realizadas análises mais inteligentes das informações, evitando retrabalho e os desagradáveis erros, causados por uma gestão manual. Por isso, automatize as rotinas mais operacionais da área financeira, por meio de recursos capazes de extrair todo o potencial de seus dados. Lembre-se de que o mais importante é saber transformar as informações de seu negócio em planos estratégicos.

“Ao utilizar uma solução digital, as empresas se tornam mais eficientes, deixando recursos e time mais disponíveis para atuarem em frentes estratégicas. Essa liberação de recursos para as áreas do core business vão, efetivamente, ter maior valor percebido por todos os stakeholders da empresa. Ou seja: você só tem a ganhar”, completa Cássio.

Gostou das dicas? Comece agora mesmo a organizar a sua conciliação bancária para otimizar e potencializar ainda mais o negócio. Saiba como melhorar esse processo, baixando o e-book sobre o assunto.

Conta Simples
Conta Simples
A união entre conta PJ, cartão corporativo e software de gestão financeira em um só lugar. Conheça e abra sua conta gratuita!
Conta Simples
Conta Simples
A união entre conta PJ, cartão corporativo e software de gestão financeira em um só lugar. Conheça e abra sua conta gratuita!
Não sabe como usar os cartões corporativos no seu negócio?

Confira agora como os múltiplos cartões
ajudam no controle das despesas!