Uma das primeiras etapas na hora de abrir um empreendimento é escolher o ramo de atuação. De acordo com o SEBRAE, as atividades podem ser agrupadas em três grandes grupos: industrial, comercial ou de prestação de serviço. Dentro de cada um desses gêneros, são várias as possibilidades.

Isso porque um empreendimento que se presta à obtenção de lucro deve ser pensado para atender a demandas específicas da sociedade. O ditado popular “dividir para conquistar” define bem a necessidade de se escolher um ramo de atividade empresarial. É a partir dessa escolha que o empreendedor consegue conquistar o mercado.

Para escolher o ramo de atividade de uma empresa é preciso levar em conta diversos fatores. Isso porque o ramo de atividade nada mais é do que uma fatia de todo o mercado. A escolha não pode ser feita de forma impensada, pois determinará todo o futuro do empreendimento.

O empreendedor deve se perguntar para qual segmento deseja vender, quais os custos envolvidos e como a anda a concorrência dentro do segmento. Além disso, o empreendedor deve ter conhecimento mínimo para atuar dentro do nicho escolhido, sendo esse um dos fatores que devem ser considerados antes da tomada de decisão.

Ramos de atividade empresarial

São três os grandes grupos de ramos de atividade empresarial. Na indústria encontramos atividades primárias, de produção e distribuição, como gráficas, fábricas de móveis ou de confecção de roupas e tecido. Normalmente, empresas na área industrial não mantêm relação com o consumidor final, transformando matéria prima para outras empresas.

As empresas na área comercial não produzem, ficando responsáveis pela venda direta ao consumidor final. Aqui encontramos o comércio em geral, incluindo as farmácias, supermercados, lanchonetes, lojas de vestuário e similares. Para saber como escolher o ramo de atividade de uma empresa é preciso investigar bem cada possibilidade dentro desse grupo.

Por fim, existem empresas prestadoras de serviços. Elas oferecem aos consumidores atividades úteis, com serviços de que as pessoas necessitam no cotidiano, como transporte, ensino, consultoria, assistência jurídica, serviços de entretenimento (cinema, caraoquê, teatro etc) e outras. Como se vê, as possibilidades são várias dentro desse segmento.

Definindo o ramo de atividade da empresa

Para você que deseja abrir um empreendimento e ser dono do próprio negócio, importante saber muito bem a área certa para investir. Na indústria, no comércio ou prestação de serviços? As opções são várias e a escolha não pode ser feita de forma aleatória. É preciso seguir balizas na hora de escolher o ramo de atividade da empresa. Confira alguns deles:

1. Gosto pela área

Um dos principais fatores que devem ser levados em contas na hora de definir onde investir é o gosto pessoal. Isso porque empreender é mais do que simplesmente pagar uma quantia em dinheiro para abrir um negócio. A experiência prática mostra que os empreendimentos mais bem-sucedidos são aqueles que são realizados com paixão.

Empreender em determinado ramo de atividade só pelo lucro pode gerar consequências desagradáveis. Primeiro, porque existem outros players no mercado, que além de fazer, gostam do que fazem. Segundo, porque a insatisfação do empreendedor pode desequilibrar a saúde da empresa, desmotivando funcionários e colaboradores.

Para escolher o ramo de atividade de uma empresa, o empreendedor deve ter o bom senso de unir prazer e profissionalismo. Existem muitos ramos de atividades, para todos os gostos. Todos eles bastante rentáveis, principalmente quando bem explorados.

2. Grau de conhecimento com o ramo

Tão importante quanto gostar de fazer algo, é saber fazer algo. O empreendedor deve levar em conta que para atuar em um ramo de atividade é fundamental possuir alguns conhecimentos básicos. Isso porque cada área é diferente, dotada de particularidades. Na indústria, são necessários conhecimentos que são dispensáveis para o comércio, por exemplo.

E mesmo dentro de cada um dos gêneros maiores de áreas de atuação, existem diferenças fundamentais. Entre uma farmácia e um supermercado, as diferenças são gritantes. A vida empresarial é diferente em cada um desses segmentos comerciais. E isso deve pesar na hora de tomar uma decisão sobre o ramo empresarial a seguir.

3. Definir e estudar o público-alvo

Para tornar a escolha do ramo de atividade de uma empresa ainda mais assertiva é fundamental estudar o público-alvo, ou seja, os consumidores em potencial. De nada adianta abrir um empreendimento empresarial quando não há demanda no mercado para o nicho escolhido.

Além de ajudar a definir melhor a área de atuação, essa etapa do planejamento possibilita pensar o local onde a empresa estará atuando. Para supermercados por exemplo, é crucial a presença de grande volume de pessoas na redondeza, de preferência áreas residenciais. Já um restaurante pode funcionar muito bem em áreas comerciais.

4. Concorrência dentro do ramo de atividade

Esse é um dos fatores-chave que acabam sendo negligenciados pelos empreendedores na hora de escolher o ramo de atividade de uma empresa. O volume de concorrentes dentro de um nicho, por melhor que ele seja, pode implicar na inviabilidade do empreendimento.

No entanto, essa não é uma regra fixa. Muitas vezes, novos players conseguem se destacar mesmo em cenários de grande concorrência, por oferecerem um produto ou serviço único e diferenciado. Se você é capaz de fazer isso, a concorrência não será um problema.

5. Custo de investimento

Nem tudo são flores. Chegou a hora de analisar se o custo de investimento para o nicho pretendido está dentro da realidade financeira do empreendedor. Aqui, os cálculos devem ser feitos de forma profissional. Mais do que saber quanto custa para começar o negócio, é preciso entender em quanto tempo ele dará retorno, qual o capital de giro necessário e muito mais.

Agora que você já sabe como escolher o ramo de atividade de uma empresa, poderá tomar uma decisão segura sobre o assunto. Leve em consideração que, independente do ramo, será preciso organização, planejamento e disciplina para cuidar da saúde do negócio.

A Conta Simples pode ser utilizada como ferramenta para facilitar o trabalho. Mas o esforço individual e comprometimento com o sucesso do negócio devem estar sempre presentes. Dessa forma, você será capaz de alcançar o topo dentro do ramo empresarial escolhido.

Deixe uma resposta