As chamadas fintechs são atualmente o principal segmento de startups em todo o mundo e novas fintechs iniciam no mercado, oferecendo serviços financeiros para a população e para as empresas a partir do uso da tecnologia, para clientes que buscam uma maior agilidade e praticidade na hora de movimentar os seus recursos e estão insatisfeitos com serviços bancários ultrapassados.

Até mesmo os grandes e tradicionais bancos perceberam o volume de contas que foram abertas nos últimos anos a partir das fintechs e começaram a copiar os seus serviços, numa tentativa de recuperar essa fatia do mercado que as fintechs atingiram com suas soluções inovadoras.

O desafio dos bancos tradicionais agora é o de se adaptar à nova realidade do mercado financeiro. Já o das fintechs é continuar surpreendendo o cliente, oferecendo sempre algo a mais do que os bancos conseguem proporcionar, tarefa que até então elas estão conseguindo realizar.

A solução das fintechs

As fintechs desafiam os bancos principalmente porque conseguiram enxergar as deficiências do mercado liderado pelos bancos tradicionais e apresentar soluções mais modernas e mais eficientes que a desses bancos.

O investimento crescente por parte dos bancos tradicionais em seus internet banking e seus canais de atendimentos online ainda não foi o suficiente para cativar essa parcela dos clientes que não querem mais perder o seu precioso tempo para resolver seus problemas financeiros.

São pessoas que valorizam seu tempo escasso e que não suportam mais a ideia ultrapassada de ter de se dirigir à uma agência bancária ou não ter um acesso e um controle total de suas contas, em tempo real, onde estiverem.

As fintechs investem em soluções tecnológicas que dão aos seus clientes todo esse poder que eles ainda não possuíam enquanto administravam as suas contas bancárias. As fintechs hoje são o principal segmento de startups de todo o mundo, porque elas conseguem apresentar soluções viáveis para os problemas reais do mercado financeiro atual, levando em consideração a velocidade com que a informação atualmente viaja e como isso já está influenciando o dia a dia das pessoas.

As fintechs vieram para acabar com a exclusividade dos bancos, mas também para criar e oferecer novos serviços que a tecnologia permite e os quais os bancos tradicionais não podem ainda ofertar.

O que são e como surgiram as fintechs?

O nome “fintech” vem de “financial & technology”, ou algo como a junção das palavras “financeiro” e “tecnologia”, o que significa que as fintechs são startups que atuam no mercado financeiro com produtos e serviços que utilizam o que há de mais moderno atualmente em tecnologia.

Foi a partir da crise financeira mundial de 2008 que começaram a surgir as fintechs. Os grandes bancos sofreram com uma série de regulações a partir dessa crise, regulações essas que foram uma maneira encontrada pelos países desenvolvidos de tentar evitar uma nova crise, e com isso esses bancos ficaram impossibilitados de atuar onde as fintechs, logo a seguir, passaram a cobrir lacunas.

No Brasil e em outros mercados em desenvolvimento, as fintechs vieram para cobrir lacunas que já existiam até antes mesmo da crise, como as causadas por legislações ultrapassadas, excessos de tarifas e juros altos. Principalmente após o marco regulatório de 2013 no Brasil, as fintechs tiveram o sinal verde para atuar no país e começar a mudar o cenário.

Nos últimos dois anos, o sucesso das fintechs começou a chamar a atenção dos bancos, com quase 1 milhão de contas digitais abertas em todo o país. Alguns deles começaram então a criar as suas próprias contas digitais.

As contas digitais

O significado de conta digital deveria ser algo bem simples, que o próprio nome já consegue explicar sozinho. Uma conta digital é uma conta para movimentações financeiras que depende exclusivamente dos meios digitais para oferecer os seus serviços. Tudo o que essa conta oferece utiliza o ambiente online, seja um pagamento, um recebimento, uma transferência ou mesmo o depósito de um cheque.

No entanto, a partir do sucesso que as fintechs obtiveram no mercado com essas contas digitais, que são contas de pagamento, os bancos passaram a nomear alguns tipos de contas bancárias como contas digitais, mesmo sem oferecer todos os seus serviços de forma online, o que começou a causar a confusão com o significado de conta digital.

O cliente de uma conta digital, seja ele uma pessoa física ou jurídica, já percebe a diferença entre uma fintech e um banco na abertura da conta. Ele não precisa ir a nenhum tipo de agência bancária ou loja, mas apenas instalar um aplicativo em seu smartphone, tirar uma foto de um documento de identificação, fornecer alguns dados pessoais e só!

Simples dessa forma, como é o caso da Conta Simples, que ainda por cima não cobra nenhuma taxa de inscrição, mensalidade ou manutenção.

O desafio aos bancos tradicionais

O desafio aos grandes bancos tradicionais está lançado e resta aguardar para conferir se eles conseguirão acompanhar a revolução das fintechs e das contas digitais e se adaptarem de verdade ao mundo virtual e conectado.

Nós queremos realizar nossas movimentações financeiras e utilizar serviços financeiros em um vagão do metrô, ou ao final do dia no conforto da cama. Não queremos mais andar no sol, enfrentar filas e funcionários mau humorados, queremos a liberdade que a internet hoje nos proporciona.

Isso é algo que as fintechs perceberam e estão conseguindo proporcionar; e seu desafio é continuar a frente dos grandes bancos.

Deixe uma resposta