Uma das dúvidas mais comuns de quem está negativado no mercado diz respeito à abertura de conta jurídica. Será que é possível? O assunto não é tão simples quanto parece, envolvendo uma série de questões de ordem legal e empresarial. Para saber se você pode conseguir uma conta jurídica mesmo estando com o “nome sujo” é preciso entender alguns pontos importantes.

O que é restrição de CPF

O termo restrição de CPF é uma forma bonita e formal de dizer que alguém está com o “nome sujo” no mercado. Isso ocorre sempre que existe inadimplência, ou seja, a falta de compromisso com o pagamento de uma dívida. Entrar no vermelho e deixar de quitar as obrigações pode comprometer o CPF de qualquer pessoa. E as agências e instituições de proteção ao crédito estão de olho.

Ter uma restrição no CPF implica em uma série de desvantagens, incluindo a dificuldade em conseguir fazer compras parceladas, conseguir empréstimos, financiamentos e outros serviços financeiros. Pagar as contas em dia gera confiança no mercado.

Deixar de pagar as contas, por sua vez, abre espaço para a desconfiança. E ninguém quer emprestar ou vender a prazo para quem não paga suas contas. Mas afinal de contas, como descobrir se uma pessoa está com o “nome sujo” no mercado? É aí que entram as instituições de proteção ao crédito, como o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) e SERASA.

Esses são dois principais bancos de dados para inadimplentes. Eles registram todo mundo que deixa de honrar suas dívidas, permitindo a consulta por parte de instituições interessadas, como bancos e outras empresas. Antes de confirmar a abertura de um crédito, por exemplo, o banco secretamente confere se o seu nome não está na lista de mal pagadores.

Mas será que estar com o nome sujo é tão ruim assim? A resposta, infelizmente, é sim. Não é nada legal ser visto de forma negativa pelo mercado. Talvez você não se importe com o que as pessoas pensam, mas deve se preocupar com o que o mercado pensa. Afinal de contas, sempre precisamos de serviços financeiros básicos, como fazer compras, e outros não tão básicos, como pegar um crédito emprestado.

Abertura de conta jurídica com restrição no CPF

E para abrir conta jurídica? Dá para fazer com o nome sujo? A resposta é: depende. Cabe a cada uma das instituições financeiras, por deliberação interna, decidir se libera ou não uma conta corrente para o negativado. Trata-se de autonomia conferida pelo próprio CMN (Conselho Monetário Nacional), instituição máxima em assuntos financeiros no país.

A boa notícia é que a abertura de conta não depende apenas da situação da pessoa junto aos órgãos de proteção ao crédito. As instituições financeiras trabalham com um vasto conjunto de parâmetros que ajudam a decidir sobre liberar ou não uma conta corrente jurídica. Entre os principais deles está o Score, uma pontuação que varia de zero até 1000. Não entendeu? A gente explica.

Entenda como funciona o Score

Pense no Score como uma pontuação que classifica cada um dos brasileiros maiores de idade de acordo com o seu comportamento no mercado, em especial no que diz respeito ao pagamento das contas dentro do prazo. Quanto maior a pontuação de uma pessoa, melhor a sua relação no mercado. Uma nota próxima de 1000 indica baixa probabilidade de inadimplência.

Notas baixas, no entanto, são consideradas fator de risco. Pessoas com Score deficiente tendem a contrair dívidas com mais facilidade. Tudo isso baseado no histórico de consumo não apenas da pessoa em questão, mas de todo o grupo que se encontra na mesma faixa de pontuação. Aqui é que entra um paradoxo: pode ser que alguém esteja negativado, mas com Score alto.

Ou seja, apesar de uma dívida recente, o histórico de consumo no mercado revela baixa tendência para a inadimplência. Nesses casos, conseguir a abertura de conta jurídica é possível, mesmo com a negativação. Por isso falamos que a abertura de conta, nessa situação, varia bastante, dependendo da avaliação realizada pela instituição financeira e critérios utilizados.

Como abrir conta jurídica estando negativado

Ter uma conta jurídica é importante até mesmo para conseguir se recuperar após um momento de crise financeira. Quem empreende no mercado precisa realizar transações com frequência, como pagamento de contas e recebimento de dinheiro, através de transações. Para conseguir uma conta jurídica mesmo estando negativado é importante seguir alguns passos simples.

Renegocie a dívida

O passo mais recomendado é procurar renegociar a dívida. Assim que acontece a renegociação, o nome da pessoa é removido dos cadastros de inadimplentes, tendo em vista que a dívida passa a existir com novos prazos para pagamento. Esse simples procedimento pode te ajudar a conseguir abrir contas e realizar outros contratos jurídicos sem complicações.

Melhore o seu Score

Outra dica para garantir que você não receba um grande não na hora de abrir a sua conta jurídica é melhorando a sua pontuação no Score. Por se tratar de uma pontuação referente ao comportamento no mercado, o melhor a se fazer é começar a pagar as contas em dia. Não deixe que as prestações acumulem e, sempre que possível, faça o pagamento integral, sem parcelamentos.

Abrir conta jurídica com restrição no CPF é possível, mas essa é uma decisão que cabe à instituição financeira. Isso não significa que você deve ficar parado. Muito pelo contrário, tome providências para que a instituição te reconheça como digno de confiança no mercado.

Procure por instituições menos burocráticas

A melhor dica é procurar por instituições financeiras que permitem a abertura de conta mesmo para negativados, como a Conta Simples. Empresas que compreendem bem a sua situação e estejam abertas para te ajudar a superar essa fase ruim. Contas digitais para pessoa jurídica como a Conta Simples têm o propósito de tornar a vida do empresário mais simples.

Evite instituições burocráticas, que exijam a comprovação de renda e realizam diversas análises antes de dar o aval sobre a abertura da conta. Tudo que você menos precisa nesse momento é de uma instituição criando barreiras. Você precisa de uma conta que te ajude a restaurar o seu patrimônio, de preferência gratuita, para que não exista preocupação com tarifas.

Deixe uma resposta